mosquiteiro

no ano passado, não teve para ninguém: o homem do ano foi o grande Sérgio Moro. mesmo com o supremo contra, a procuradoria contra, o Congresso contra, uma parte da polícia contra, fez o que fez. mas, e se não fosse por ele, quem seria a personalidade a ser lembrada em 2015?

bem, aí o homem do ano seria o Aedes Aegypti. até 2013, ele era conhecido apenas por ser o vetor da dengue. em dois anos, o mosquito reinventou-se e passou a transmitir febre chikungunya e o infame zica vírus. é como se ele, hoje, tivesse três empregos e ainda estivesse na boca (e nas casas, quintais, poças de água etc) do povão.