como um cartaz de exposição

as duas últimas semanas me foram bastante boas. não existe uma tradução concreta do que aconteceu e eu não comentei com as pessoas – isso porque ainda estou entendendo o que está rolando. diferentemente de outras situações, decidi dar-me um tempo para processar as coisas, diminuir a pressão e as expectativas, fazer de outro jeito.

mas voltemos à primeira frase: está sendo bom, qualquer que seja a interpretação. a minha preferida, no momento, é a de uma sequência rápida de lances de xadrez que se segue a meses sem uma jogada sequer. e mais: de uma partida cujo desfecho vai exigir muitas repetições dessa dinâmica… e cujo adversário não é a morte como no tabuleiro do “Sétimo selo”, nem uma tragédia grega.

falando nisso, existe uma possibilidade – ainda que remota – de uma tragédia grega nesse palco, tabuleiro, ambiente. ou uma tragédia kabuki. mais do que isso, não posso falar.

uma coisa já está garantida: a remissão futura a esse período. como um cartaz de exposição, guardado por anos depois que a galeria a recebeu.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s