conversa da treta

dediquei uma parte dos meus últimos domingos a ver filmes sobre vinho, já que descobri que gosto do assunto e me interesso mais do que deveria pelo processo até a chegada às prateleiras. no domingo retrasado baixei e assisti “Mondovino”, documentário de 2004 que ataca a pasteurização da bebida em prol de vendas. o filme pega pesado com gente graúda, como o produtor Robert Mondavi (que se dedica a um tipo específico de vinho, independente das uvas, porque sabe que é o preferido da crítica), o enólogo Michel Rolland (que percorre o mundo fazendo vinhos aos gostos da crítica), o crítico Robert Parker (que não é um cara pedante, mas que inventou um critério absurdo de dar notas de 0 a 100).

explicando um pouco mais: os críticos, liderados por Parker, começaram a ditar moda nos EUA e no resto do mundo, dando preferência a algumas uvas (Cabernet Sauvignon, Merlot, Shiraz e Malbec, nos tintos; Chardonnay e Sauvignon Blanc, nos brancos) e a coisas como o envelhecimento do vinho em barris de carvalho (para pegar gosto de madeira), e em muitos casos isso significou a redução do plantio de uvas locais ou no abandono de métodos tradicionais de fazer vinho.

o filme mostra ainda algumas resistências a esse “gosto internacional”, especialmente na Borgonha. como é documentário, não tem um caráter muito refinado, mas mostra bem que a globalização teve um efeito colateral ruim na vinicultura.

no último domingo foi a vez de finalmente assistir “Sideways” do início ao fim. já tinha visto o filme uma vez, no Lago Norte, de madrugada, mas dormi durante metade dele. todo mundo conhece a história: um professor, na pior, embarca numa viagem com um amigo que se casa em uma semana, visitando vinícolas, jogando golfe e mexendo com mulher. filmaço. sem contar que o Miles, personagem principal, não bebe Malbec e adora Pinot Noir – uma uva também globalizada, mas menos difamada que as que citei acima, que crescem em qualquer lugar. o filme tem umas ponderações importantes sobre a vida, e deve ser legal morar perto de uma região vinícola de verdade (tchau, gaúchos). e a cena do resgate da carteira do Jack, o amigo que vai se casar, é hilária.

espero que eu ache mais uns filmes legais sobre vinho, o assunto rende. tenho até a ideia para dois documentários sobre, só falta descobrir quando rola de fazer…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s