o quarto

esse é um post atrasado, que já devia ter ido ao ar há duas semanas, mas não deu. não consigo colocar fotos quando atualizo o blógue a partir da Telerj, como faço na maioria das vezes.

três semanas atrás fiz minha primeira viagem a trabalho desde 2008. não gosto disso, especialmente porque o valor das diárias acaba fazendo com que se pague para trabalhar, não compensando do ponto de vista financeiro. mas eu devia um favor ao Victor, que estava escalado para ir a São Paulo cobrir um evento, então me ofereci para substituí-lo. de quebra, isso colocaria meu nome de volta ao fim da fila da viagens, e eu poderia escapar de lugares que não quero conhecer – o que dá algo em torno de 95% do Brasil.

é, eu não tenho o menor interesse em conhecer o país, e não tenho problema com isso.

enfim, como iria à capital de SP, indo e voltando no mesmo dia, resolvi que pelo menos comeria bem. com uma certa antecedência, chequei se o chefe estaria lá e o chamei para comermos no D.O.M., aquele restaurante bacana que recentemente entrou na lista dos melhores do mundo (em quarto lugar, daí o nome do post). a página do D.O.M. não mostra de forma objetiva o cardápio, mas eu já sabia queo não teria tanto tempo para encarar com calma o menu degustação.

daí o Lúcio me falou que a casa também serve almoço executivo, a um preço bem razoável. no dia, então, decidimos optar por ele, e escolher uma sobremesa do menu “tradicional” do restaurante. o que encontramos foi isso aqui:

pães, de azeitona e de queijo, no couvert

coalhada e purê de batata batido com alho (mais um alho confitado por cima), também no couvert

salada verde e tomates, a entrada

as opções do almoço executivo são três: filé, frango e peixe. optamos pelo primeiro, que veio sob a forma dos três escalopes da foto abaixo. ao lado dele, uma banana (sim, isso à esquerda é uma banana)

qualquer que seja sua opção de carne, os acompanhamentos são os mesmos, servidos em panelinhas. aqui temos os feijões:

aqui, arroz, farofa, couve e uma batatinha (não sei dizer de que tipo, apenas que bem pequenininha e que, apesar de gostosinha, não estava à altura dos demais acompanhamentos)

montado, o prato do almoço executivo ficou assim:

e o que dizer? é muito gostoso. o filé veio num ponto perfeito, a couve e o arroz estavam deliciosos. dos feijões (sempre os dois são trazidos), o preto estava bom, mas o carioquinha estava MARAVILHOSO. com certa margem, o feijão mais gostoso que já comi na minha vida. na mesa à minha frente, uma família de japoneses (japas mesmo) comia alegremente o mesmo prato executivo, o que me deu a certeza de que trata-se de uma refeição perfeita para estrangeiros: mostra o prato típico do país, extremamente bem executado, e a um preço razoável (creio eu que ele, acompanhado da saladinha de entrada, sai a R$ 67).

na sobremesa, apelei ao menu convencional e pedi ravióli de banana com maracujá e sorbet de tangerina:

o ravióli não estava bom, mas o sorbet… meu Deus, que delírio. Lúcio foi de pirâmide de chocolate com calda de tamarindo, que tinha uma cara ótima (e que não fotografei). no final, conta de R$ 117, incluindo águas, serviço e tudo mais, bem abaixo do valor por um prato do menu convencional. que eu logo pretendo conhecer. essa primeira impressão foi bem interessante…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s