toma lá

depois de começar a beber café para rebater meu lado Peppermint Patty e não ficar com sono quando não posso, achei que as coisas estivessem melhorando. estão, mas aí hoje me veio um sono pesado, que raramente sinto durante o dia.

desci pelas escadas até a portaria da Telerj (trabalho no terceiro andar) e dei uma volta ao redor do prédio, tentando me sentir mais acordado e concentrado. nada. respirei fundo, desci até o subsolo, e nada.

daí resolvi subir a escadaria de emergência do subsolo até o décimo-primeiro andar. sem correr. mesmo assim, e mesmo com algum preparo físico, cheguei lá em cima moído, a ponto de não aguentar descer pelas escadas e recorrer ao elevador logo ao lado. voltei à minha baia ofegando e com o coração disparado, mas foi uma boa descarga hormonal no meu corpo. tomei um copo de água, o segundo café do dia e então as coisas melhoraram.

pazuzu

hoje teve depoimento do senador Torres, e eu estava no Senado bem na hora em que todos se acotovelavam para ouvir o que o ilustre goiano, de quem eu era fã, tinha a dizer. fiquei na sala do lado, onde seria a reunião do meu interesse, e que provavelmente não aconteceria. ela demorou tanto que o pessoal responsável pela sala botou num telão o depoimento do Torres, ainda que nem todos quisessem ver – eu, por exemplo. quero que ele seja cassado e processado pelo que fez, claro, mas é curioso sentir um pouco de remorso pela pessoa dele. nenhum pelo senador, evidentemente. do pouco que vi no meio do monte de gente que se espremia na sala, o goiano parecia morto.

não deve ser fácil ser o inimigo público número um.

média

não gosto de tomar café no trabalho. alguns dos meus colegas mal trabalham e passam o dia esperando as horas em que um garçom passa servindo café, e ficam numa punhetação de saudar o cara, ou seja: eles só largam o Facebook para tomar café. mas ultimamente as minhas horas de sono não têm sido suficientes para aguentar o tranco, então vi-me obrigado a buscar auxílio para ficar acordado. e o café tem dado certo: não evita que eu sinta sono em algumas horas do dia, mas sem ele eu provavelmente teria desabado ontem e hoje.

conclusão imediata, que aliás eu já sabia: o inferno não é o café, o inferno são os outros (como dizia o cretino do Sartre).