é tendência

na chamada para o “Moda & Música”, programa da Fashion TV que tenta traçar um paralelo entre as duas coisas mostrando a moda criada e adotada por cada movimento musical, dá para ver, sob uma trilha sonora de “Smells like teen spirit”, e intercalado por imagens de várias dezenas de clipes, trechos dos clipes de “She’s in fashion” e “Saturday night”, do Suede.

tá, mas quem se importa com isso? eu, oras.

fubanga

decidi mexer com drogas pesadas hoje: estou ouvindo “First impressions of Earth”, o terceiro disco dos Strokes. dá para resumir o LP no seguinte:

– eles tentam de todo jeito imprimir energia nas três ou quatro primeiras músicas, mas você sente a vontade da banda toda querendo bocejar;
– “Ask me anything” é o Julian Casablancas tentando reescrever “Eleanor Rigby”, dos Beatles: falha miseravelmente;
– “Evening sun” começa querendo ser “New test leper”, do REM, e termina querendo ser “Tonight, tonight” dos Smashing Pumpkins.

mas o disco melhorou um pouco, de nota 2 passou para 3,5. será que se eu continuar ouvindo ele chega a 6?

bocada

também na segunda eu voltei para a academia, depois de três semanas suspenso por conta da coluna. depois de quatro dias sem dor alguma, liguei para o treinador e falei que poderíamos tentar o retorno, e ele achou por bem fazer séries com menos peso e mais repetições. não senti dor na hora, mas estou com aquela “dor reflexa”, que não me mata mas fica a todo tempo me lembrando que tenho uma coluna enferma.

ontem repeti a dose, fazendo ad nauseam os mesmos poucos exercícios e aguentando trinta e cinco minutos de bicicleta ergométrica, divididos em três vezes. antes de começar as atividades de terça, decidi me pesar, para mensurar a destruição causada por vinte dias sem poder treinar mais uma semana de alimentação irresponsável em Deprelândia. e deu que, na verdade, estou mais leve do que antes, 300 gramas.

é bem verdade que perdi alguma coisa de massa magra, mas comemorei o resultado: só de não engordar eu já estou muito no lucro.

maloca

peguei o carro na revisão, segunda-feira. a folga no câmbio diminuiu graças à troca da bieleta, mas houve alguns efeitos colaterais: a embreagem (embraiagem, se você estiver em Portugal) está pesadíssima, e o comando de subida dos vidros na chave não está funcionando. liguei na Champion e vou levar o carro lá para ver que p**** é essa.

no meio disso, a vontade de ficar com o 307 até 2013 e tentar trocá-lo num CLC esmoreceu. primeiro por causa desse incidente, e segundo porque descobri que o volante do CLC não é nem revestido de couro. pode parecer pequeno, mas um carro de R$ 120 mil (preço promocional) não ter isso é… uma pena. mas ainda tem muita água para cair até o prazo para troca do meu carro (a partir de 5 de agosto de 2011) chegar.

e se eu pegasse um raro (e feioso) Saab 9000 1991/92 + um Smart?