5,5

diazinho sem surpresas. a reunião da manhã correu como se esperava, nenhuma discussão atravancando a parte que toca a Telerj. nenhum deslize no café da manhã, as dores dos primeiros dias de academia sumiram, ontem à tarde eu consegui sobreviver a um inferno na bicicleta ergométrica, comandado pelo meu treinador.

ainda não comecei a fazer os trabalhos da faculdade, mas já prevejo uma bomba no horizonte: a nova matéria será ministrada por um professor de nome francês e todas as leituras por ele recomendadas estão em inglês. TODAS. dez de dez textos. ler sobre algo que gosto, em inglês, é um prazer. ler teoria, imagino, deve ser uma loucura sem par.

consegui comer apenas 455 gramas no almoço e me sentir satisfeito, isso é bom, menos é mais. estou um pouco preocupado com a possível venda da Volvo para a Geely, fabricante chinesa de veículos. mas só um pouco preocupado, já que existem Minis e 500s aí para isso. uma chefe suprema desceu de seu gabinete e passou por aqui há pouco tempo, mas não chegou a ficar.

enquanto isso, acompanho com atenção a queda de hoje na Bovespa: mais dois dias assim seriam perfeitos para mim, recomprando as VALEK36 que vendi e encaminhando as coisas para o que quero fazer em dezembro.

*

nem tenho outras novidades, mas em meio a um momento conturbado pela manhã, tendo de me ocupar de quatro coisas ao mesmo tempo e lembrando de como estão as coisas na pós, lembrei que meu pai acha que minha vida é a coisa mais tranquila do mundo. não, pai, não é. por mais que não seja o maior fardo do mundo (não é), queria ver se ele diria a mesma coisa se acompanhasse o que rola por aqui.

por fim, preciso dizer que “Mess”, do Ben Folds Five, foi escolhida para ilustrar esse post por causa de sua arrancada. lembrei dela quando precisei apertar o passo, hoje cedo.

balística

fazia um dia lindo quando saí de casa, hoje cedo. neblina na altura do meu prédio, céu cinza por todo lado, vento levemente frio, que dava uma sensação térmica de menos que os dezenove graus daquele momento. pena que o céu vai se abrindo lentamente e que a chuva vai ficar para o período da tarde… seria bom que a temperatura não subisse e que rolasse uma chuva intermitente até o final da semana.

sujou

deve ter gente achando que isso vai aumentar o IDH do país…


McDonald’s deixa a Islândia após forte crise econômica local

As lojas da rede McDonald’s da Islândia vão fechar as portas no próximo domingo (01) em função da derrocada econômica da ilha.

A Islândia passará a ser um dos poucos países da Europa Ocidental onde a rede de “fast food” não estará presente.

No país, todos os produtos oferecidos nas lojas McDonald’s são importados, uma vez que o mercado é muito pequeno para atender a demanda.

Até recentemente, esses produtos vinham da Alemanha, mas seus custos duplicaram desde o desabamento da moeda local, a coroa islandesa. Desde março de 2008, o valor do euro aumentou 80% em relação à moeda local.

exército

apareceu uma história de que o Pulp poderia retornar (separaram-se em 2002) para tocar no festival de Glastonbury do ano que vem. seria uma ótima ideia. mas, lamento dizer, não vai rolar. não por questões de dinheiro, ou porque o Jarvis Cocker não queira, ou porque houve alguma briga dentro da banda… não.

não vai rolar porque a sociedade mudou, e quem conhece a banda sabe o quanto isso importa. mas não mudou no sentido que o Pulp queria, e sim no sentido de que uma volta seria como se a Deborah de “Disco 2000” embarangasse, como se o moleque de “Help the aged” hoje tivesse setenta anos, ou se as sementes que cresceriam por entre os buracos na calçada em “Weeds” tivessem sido destruídas por um herbicida potente e o cimento ocupasse seu lugar. só por isso mesmo.