nota

quem aparecer hoje:

– me cobrando alguma coisa sentimental
– comentando de alterações no meu comportamento
– com problemas que não são da minha alçada e/ou não há nada que eu possa fazer diretamente para resolvê-los
– como Estado-fantoche de outra pessoa

será ignorado, bloqueado e terá acesso restrito a mim por um tempo, para aprender a deixar de ser babaca. e sai da frente, que o meu humor hoje tá inexistente.

herança

minha irmã me informou hoje que o Maciel, um primo distante, conseguiu a certidão de nascimento do meu bisavô, Luiz Palandi (1884-1928) e, com isso, o caminho até o passaporte italiano ficou bem desobstruído. todos os outros documentos necessários estão no Brasil, e em um raio de onze quilômetros a partir da casa da minha mãe. desse jeito, creio que nunca mais precisarei de um passaporte mandioca… :)

*

ela aproveitou e me mandou uma foto de dois dos irmãos do meu bisavô, a Rosa e o Giuseppe – este, com sua esposa também aparecendo na foto. no Brasil da época, a expectativa de vida era de cerca de quarenta e dois anos, e a foto não indica a data em que foi tirada. mas é curioso ver como as pessoas envelheciam cedo na aparência: o casal da foto deve ter cerca de quarenta anos, e aparência de cinqüenta e cinco, sessenta. e, como na época não havia M. Officer, Zara ou Buckman, a indumentária deles na foto era um problema…

*

mas e aí, para onde eu vou com esse passaporte italiano? Nova Iorque? booooora, galera!

adenina

dia desses eu comprei uma gravata Burberry, original, no eBay. paguei 88 reais, incluindo aí o frete – felizmente ela não foi parada pela alfândega brasileira. comprei uma na padronagem típica da marca, o xadrez, e em uma cor difícil de se conseguir e bem fácil de se combinar.

já havia achado isso o máximo, mas agora o ego decolou: quarta-feira, na Zara, vi que uma gravata de seda deles custa 89 reais. e, se nos EUA uma gravata Burberry custa 125 dólares, no Brasil eu descobri que o preço é de 450 reais. cruzes. para fechar, na mesma Homem Vogue onde descobri essa cotação, o editor de moda diz que xadrez é tendência pra esse inverno, mais uma vez. que loucura.

timina

parece que a coleção de inverno da VR Menswear tem influência mod, segundo diz na página da Joyce Pascowitch. massa. tô vendo que meu buraco no cheque especial vai durar mais tempo do que eu pensava.

*

bom saber que minhas negligências físicas ainda não deram em resultados catastróficos. ainda, ressalto. mês que vem o Pilates acaba e, embora eu goste bastante, ainda não criaram nada melhor do que um pumping iron para ficar em forma, ou pelo menos morrer tentando. espero que tenha aquela máquina de esqui na academia onde vou entrar, eu realmente não estou a fim de ir pra esteira. nem minha coluna.

*

mas aí, uma pergunta: sou só eu ou vocês também acham que uma apresentação com trinta e oito slides de Powerpoint é enorme? minha chefe acha que não.