pregos sans frontières
o troféu “Prego sem fronteiras” do mês de maio foi para nosso amigo Pedro Barbosa, que some do mapa e, quando volta, é só pra dizer que sumiu… e some de novo.

os leitores portugueses deste blógue já perceberam que, para além do sentido de “sanduíche de carne” que é adoptado por aí e do sentido de ferramenta metálica usada para fixação de coisas que é utilizado tanto por aí quanto cá no Brasil, “prego” é uma gíria mandioca para definir aquelas pessoas que gostam de, ahn, “azucrinar” ou se fingem de tontos quando, na verdade, são grandes espertinhos. portanto, Pedro, és um prego. apareça e discutiremos isto a fundo… :)

Anúncios

bodinho
sucesso da hora do almoço, enquanto passo mal e não almoço: Roots & Cody Chestnutt – “The seed (v2.0)”. seja lá do que for essa p**** dessa semente, não tenho como provar. será que se eu pedir um envelope de Eno pro Alexandre ele me manda?
(não, Alê, não é aquele disco do Brian Eno que você ouve em segredo…)

pictures of you
minha menina mandou umas fotos dela hoje cedo. linda. doce. apaixonante. uma delas, inclusive, enseja um pedido de casamento: é tão linda que faz chover ao contrário. é bom sair de casa prevenido para uma enchente dessas…

heavier than heaven
fui ao restaurante mexicano ontem e comi demais, a ponto de sair carregado. por dentro, claro. saí prometendo ficar oito dias sem comer nada, alimentando-me apenas de luz. hoje estou passando a folhas e chá, mais nada. o momento em que eu, ontem, antes de comer no Chili Pepper, peguei uma caixa de chá verde e dois envelopes de Clight Tea no Pão de Açúcar foi uma iluminação. agora é só administrar a crise, arrochando na medida do possível… e esperar as coisas se reestabelecerem.

o mundo é um prego II
aos trinta e três minutos do primeiro tempo do rachão Brasil x Lucerna, nosso amado Galvão Bueno solta: “sempre que você visualizar uma sigla para a Costa do Marfim na Copa, verá que ela é CIV. como o idioma do país é o francês, adotou-se a sigla para o nome em francês, Cote d’Ivoire”.

achei prego da parte dele.

o mundo é um prego I
como parte de futuros projetos profissionais, bati um fio para a Ford e me ofereci, prego que só, para fazer um test drive no Fusion. recebi uma ligação de uma concessionária brasiliense, nesta tarde, dizendo que o veículo já está à minha disposição. e aí, prego ou não?