8 ou 18
se tem dias em que eu só consigo dormir depois das quatro da manhã, tem noites em que durmo dez, onze horas seguidas. hoje, por exemplo: dormi até afundar. se bem que eu já tava na m****, nem precisei afundar tanto :)

Anúncios

herbalife
já viram aqueles carros adesivados que trazem a inscrição “perca peso agora – pergunte-me como”? pois bem, eu imagino que a resposta que a pessoa do carro dá seja aquele kit com emagrecedores que você paga uma facada pra comprar e que eu não me lembro de ter visto dar certo com alguém.

mas se você quiser perder mesmo peso, pergunte-me como, tenho um método infalível. duvida? perdi um quilo na última semana…

ffa coffi pawb
hoje, pela primeira vez em uns seis anos, eu não senti nenhuma vontade de viver. ou, mais claramente, senti vontade de me matar.

é claro que eu sou fraco e nunca teria coragem de fazer isso comigo. mas que dá vontade, dá.

conclave
e eis que o Sudoeste acordou com “My death”, com o Scott Walker, sendo tocada sete vezes seguidas num apartamento. e eu com vontade de ouvi-la dentro de um carro veloz, no Eixão, cantando alto (com os vidros fechados). na parte da letra que diz “my death waits in your arms, your thighs / your cool fingers will close my eyes”, a palavra cool seria trocada por cold, mais apropriada.

aliás, e o tal do disco que ele lançaria ano passado pela 4AD? já estamos em junho de 2005 e nada ainda… tô ficando preocupado. será que vem aí o disco do ano?

deserto de gelo
diz aí, Brett Anderson:

If they burned my brain away would you understand?
If they tried to hold me down would you hold my hand?

segura minha mão, e não me deixa cair nunca mais. por quê caímos? para aprendermos a nos levantar…

procurando um amor tão forte quanto a morte
metade coração, metade cabeça
e eu me pergunto se esse amor
que as pessoas dizem ser tão forte quanto a morte
está em algum lugar lá fora ou só nas cabeças delas

alguém indica o cara ao Nobel, por favor?

instantes
hoje fiz faxina no quarto, no toalete e na cozinha, embora não tenha lavado a louça. são onze e meia da manhã e já me sinto um pouco exausto. sendo assim, o melhor é não me esforçar demais na execução de certas rotinas, como, por exemplo, a de escolher as músicas a serem ouvidas. de qualquer jeito, o disco do dia é o “Exílio”, do Quinteto Tati, que é maravilhoso.

aliás, para quem não conhece o maravilhoso mundo do rock and roll lusitano, as duas bandas a serem descobertas são o Quinteto Tati e os Eleven Gash. que ainda não lançaram seu primeiro trabalho, mas são minha grande aposta para 2005. ou 2006, se o Pedro não levantar logo a peida da poltrona e chamar a banda pra ensaiar…