incontornável
Tom Jobim – “Querida”. bem, agora eu vou-me.

Anúncios

chicote elétrico
– uma pena que não se possa exigir bom acabamento das montadoras de automóveis sediadas no Brasil. e mais uma pena ainda que não se interessem nem em lançar os bons compactos (Citroen C2, Lancia Ypsilon, Toyota Yaris, o novo Mercedes-Benz A-Klasse) no país. quem nasceu pra Celta (com todo o respeito) nunca chega a Cadillac.

– enquanto isso, dois pescadores seguem dentro de um barco equipado com ADSL e GPS, no meio da lagoa, numa paciente espera pelo big fish. se a comida acabar, dá pra pedir pela página do McDonalds. mas o peixão vem, ah, se não vem.

– fazendo como os romanos, comecei a jogar um jogo de tênis para o Dreamcast. só tomo surra dos calejados jogadores daqui, como no tênis da vida real, mas esse jogo vira. falando nisso, mais alguém aí nunca jogou tênis, pra gente entrar numas aulas? agora que vou ficar rico, preciso saber dessas coisas…

– discutindo ontem com o baterista do Phonopop e o guitarrista do Prot(o), chegamos à conclusão de que bom mesmo é Cardigans das antiga (sic). e só.

aí…
aí que eu sei lá. bebidinhas no Moisés, promessas não-cumpridas, um carro da Renault e a minha cabeça girando. todo de azul, estava com vontade de escrever um grande poema sobre como é ver tudo acontecendo e se sentir feliz sem saber o que fazer estando no olho do furacão. você está pronto? eu também. vamos ao Octogonal fazer algo outonal, então.

ok, candango
o The Sun então diz que a Katie Holmes, atualmente namorando o Tom Cruise, está se guardando para o cara certo. ela tem vinte e seis anos e é uma das meninas mais lindas do showbiz.

depois dessa, eu tenho a obrigação moral de me guardar pra menina certa. como diz o U2, I will follow.

bad trip total, Felipão
meu espírito até se eleva depois de cada sessão de “Casablanca”. caramba, é bem mais que um mero filme… não sei explicar o que é. “obra de arte” é clichê pra definir…