acumulando créditos
fiquei duas horas e trinta minutos na fila do Banespa local para pagar um imposto devido por uma pessoa da família de quem não gosto. mas tem coisa pior: o filho dela é que eu odeio mesmo. da próxima vez que o moleque vier à firma e começar a chutar os sacos de matéria-prima que meu pai usa, vou gritar com ele até a morte. e ainda vou falar na frente do pai dele “é por crianças barulhentas e burras como a sua que eu sinto vontade de fazer uma vasectomia”. pá.

Anúncios

já vi que não
Frank Sinatra – “I’ll never be the same”. ao lado de “My way”, a melhor interpretação do mestre. e a música do dia, especialmente no que diz respeito à letra:

eu nunca serei o mesmo,
as estrelas perderam seu significado pra mim
eu nunca serei o mesmo,
nada é o que um dia costumava ser
e quando os pássaros que cantam me disserem que é primavera,
eu não poderei acreditar em seu canto
uma vez o amor foi rei,
mas reis podem estar errados

eu nunca serei o mesmo,
há uma espécie de dor no meu coração
não sou mais o mesmo
desde que nos afastamos
apesar de haver muito que um sorriso pode esconder,
bem no fundo eu sei
eu nunca serei o mesmo
nunca serei o mesmo de novo
eu nunca serei o mesmo
nunca serei o mesmo de novo.

olá, fossa.

running up that hill
bom, depois de uma noite conturbada, tudo pra que tenha um dia calmo. mas segundas-feiras, normalmente, são bem movimentada. acordei me sentindo morto. no psicológico. sem vontade nenhuma de fazer nada, sem ter como reagir, sem esboçar qualquer sinal de vida.

nada a acrescentar. escrevam-me, eu gosto das suas palavras. pelo menos da maior parte delas.