dançando e rodando

bom, agora que a Trama vai lançar o Libertines no Brasil, as festas de Feira de Santana ganharão mais munição. yay!

Anúncios

agora é que eu quero aprender

mon dieu, e essa agora?

Falar chinês exige mais do cérebro, diz estudo

Falar chinês pode exigir uma maior atividade no cérebro do que falar inglês, de acordo com um novo estudo. Pesquisadores britânicos descobriram que pessoas que falam mandarim usam os dois lados do cérebro para entender a língua, enquanto aqueles que falam inglês utilizam apenas um lado do cérebro. De acordo com os pesquisadores, os resultados do estudo podem ajudar a entender como o cérebro processa as línguas.

Mapeamento

Os resultados podem auxiliar os cientistas a desenvolver melhores formas de ajudar as pessoas a reaprender línguas depois de um derrame ou acidente vascular cerebral. A doutora Sophie Scott e seus colegas do Wellcome Trust fizeram o mapeamento do cérebro de um grupo de pessoas que falam mandarim e inglês. Os cientistas descobriram que o lóbulo esquerdo, localizado na têmpora esquerda, fica ativo quando as pessoas que falam inglês ouvem a língua. Pesquisadores acreditam que essa área do cérebro liga os sons da fala para formar palavras. Eles esperavam encontrar resultados semelhantes nas pessoas que falam mandarim. No entanto, constataram que os lóbulos esquerdo e direito ficam ativos quando elas ouvem mandarim.

Difícil

“Pessoas que falam diferentes línguas usam seus cérebros para decodificar a fala de formas diferentes”, disse a doutora Scott. “Isso derrubou algumas teorias de muitos anos”.

O mandarim é uma língua conhecida por ser de difícil aprendizado. Ao contrário do inglês, os que falam mandarim usam a entonação para identificar significados totalmente diferentes de determinadas palavras. Por exemplo, a palavra “ma” pode significar mãe, megera, cavalo ou cânhamo, dependendo da maneira como é dita.

Os pesquisadores acreditam que essa necessidade de interpretar a entonação é o que faz com que as pessoas que falam mandarim necessitem dos dois lados do cérebro.

Criança

O lóbulo temporal direito é normalmente associado com a capacidade de processar música ou tons musicais. “Acreditamos que as pessoas que falam mandarim interpretam entonação e melodia no lóbulo temporal direito para dar o significado correto das palavras faladas”, disse Scott. “Parece que a estrutura da língua que se aprende quando criança afeta a maneira pela qual a estrutura do cérebro se desenvolve para decodificar a fala. Pessoas que têm o inglês como língua nativa, por exemplo, têm enorme dificuldade em aprender mandarim”.

Aprendizado

A doutora Scott disse que a descoberta pode ajudar os cientistas a entender como o cérebro aprende línguas. Segundo a pesquisadora, isso também pode levar a novos remédios para ajudar as pessoas que perderam a capacidade de falar. “Há evidências de outros estudos de que certos medicamentos afetam o aprendizado em regiões do cérebro que apóiam a escuta e a fala”, disse ela. “Isso é algo que se pode melhorar.”

Entendimento

O médico William Marslen-Wilson, da Unidade MRC de Ciências de Cognição e do Cérebro da Universidade de Cambridge, elogiou o estudo: “É uma descoberta interessante”, disse ele à BBC News Online. “A pesquisa de línguas que são muito diferentes uma da outra nos ajuda a entender como o cérebro processa a linguagem”.

“Isso pode nos ajudar a entender a reabilitação da linguagem”, disse o doutor Marslen-Wilson. “Esse campo está realmente se abrindo, mas ainda é cedo”.

A descoberta será incluída na exibição de ciência da Royal Society, em Londres, de 1º a 3 de julho.

lendo o diário

vendo a lista de mp3 da minha senhora, um remix do Kings of Convenience feito pelo Four Tet me chamou a atenção. baixei-o de outrem (não queria que o micro dela travasse, coisas assim) e adorei, por isso recomendo. a canção se chama “Weight of my words”.

cante junto

abaixo segue a letra de “(Amor) Teu pai é maconheiro”. observem que eu a “tirei” de ouvido, ou seja, pode (deve) estar cheia de erros. os versos entre parênteses são as heterodoxias proferidas por Ricardo Cima, devidamente embriagado.

(Obrigado.)

(Viva a noite! Viva a noite!)

Vai ser legal

Sensacional

Cai na real

Você não tem mais quinze aninhos

Amoooooor, teu pai é maconheiro!

Será que é?

Coroa chique

Cai na real

É descolado e tem dinheiro

O seu pai é hippie

Vive dos juros

Ele faz cooper

Cabelo duro

Amooooooor, teu pai é maconheiro!

Agora é com vocês

PÁ! PÁ! PÁ! PÁ! PÁ!

SUSTENIDO!

(Pó falá! Pó falá! O seu pai! Ô seu pai! Meu pai!)

O seu pai assiste CNN todo dia (é mentira dele)

Todos os sons do planeta

Preocupam muito a ele

(Não ouse me atrapalhar! Não ouse me atrapalhar!)

Ele pede!

Ele manda!

Ele salva!

De quinhentos!

Amooooooor, teu pai é maconheiro!

(Teje preso! Guri! Guri, teje preso! Tá preso, Guri! Maconheiro!)

nota: o PÁ-PÁ-PÁ-PÁ-PÁ da metade da música supostamente seriam cinco tiros disparados num choque de gangues, de acordo com o baterista Marcus “Urso” Dunlop. o “SUSTENIDO” logo depois é o apelido do baixista, que também é goleiro oficial do time da banda.

tchose

uma das melhores músicas do ano, se não a melhor, finalmente está ao alcance de quem não mora em Brasília. os locais do Chantilly foram “grampeados” durante um show e seu maior hit, “(Amor) Teu pai é maconheiro”, está disponível a um clique de você. pega, vai. se você precisa de argumentos pra pegar a música, vamos lá:

1. o vocalista, Ricardo Cima, fica gritando “viva a noite” de forma hilária no começo;

2. no meio da música, dá pra ouvir um tiroteio que realmente ocorreu na porta do recinto;

3. logo depois dos cinco tiros, a mulherada começa a gritar feito louca (a banda continuou tocando);

4. com a pá virada, Ricardo Cima começa a repetir “não ouse me atrapalhar”;

5. quer melhor refrão que “amor, teu pai é maconheiro?”

p.s.: não, não dá pra entender metade do que o cara canta, mas eu vou falar com ele e pegar a letra depois.